sábado, 7 de abril de 2012

Maturidade nos momentos difíceis pode ajudar a superar as crises em todas as fases na relação .

Todo relacionamento tem problemas, que são diferentes em cada fase do relacionamento. Se você se preocupa em fazer com que a parceria com sua amada dure, é preciso lembrar que a vida não é feita apenas de bons momentos.  Preste atenção às características dessas fases para derrubar os obstáculos que vão surgir.


Flerte e paixão

O flerte é um paraíso! Vocês são gentis, simpáticos, bem humorados e um parece ao outro a opção mais interessante que já apareceu na vida. Se ela aceitar seu convite para sair e vocês iniciarem um caso, tudo continua maravilhoso, mas pode ser a hora de cometer o primeiro erro. “Existe muita expectativa de ambos os lados. Geralmente, o que ocorre no começo de uma relação é que projetamos muita coisa e recebemos projeções”. “Quando estamos conhecendo alguém, há um encantamento enorme. Criamos expectativas demais, que não são reais, na maioria das vezes".



Namoro

Com o namoro engatado, você cai na real. Muitos relacionamentos não passam do começo porque ambos notam que o outro não corresponde às tais expectativas. “É comum ouvirmos a reclamação de que o parceiro mudou, que no começo era diferente. Mas será que mudou mesmo?”. Na verdade, o fato é que o casal passa a se enxergar como realmente é. “As projeções começam a cair por terra, mas esse é o verdadeiro relacionamento. Se você conseguir superar isso, o romance continua”. 


Noivado


Se você decide planejar – de verdade – o casamento, é porque ainda está apaixonado e já conhece melhor a eleita. Só não se esqueça de que esse novo passo exige a reflexão de que muitas coisas mudarão. Agora, a relação será mais séria e, portanto, se há um compromisso de fidelidade, por exemplo, é bom que ele seja seguido. Mas, sobretudo, é preciso avaliar se os projetos de vida combinam para que o casamento seja possível. 

Avalie se a futura mulher vai poder acompanhar esses seus projetos. “Podem ser projetos profissionais ou mesmo a realização de sonhos, como morar no exterior por um tempo, por exemplo. Pergunte-se se ela vai poder compartilhar tudo isso com você”. Com a intenção de casar, o aspecto financeiro também ficará mais importante.

“Há todo tipo de pessoa: os que pensam ‘o que é meu é meu’ ou ‘o que é nosso é nosso’”. Não existe um jeito certo, mas é preciso pensar como é cada um para haver um consenso. “Você percebe cedo se a mulher é do tipo que acha que o homem deve pagar a conta, se quer dividir tudo ou se faz questão de pagar a parte dela”. Isso é bem mais fácil de ser administrado no namoro; porém, morando juntos, as contas serão as mesmas. “Por isso, nessa etapa, é bom que isso seja conversado".




Casamento


Agora, a convivência é muito maior. Outros defeitos vão se revelar, problemas novos farão parte da vida do casal e a liberdade, sem dúvida, diminui. Lançar e receber olhares, por exemplo, vai continuar acontecendo – por mais que não passe disso. “Ninguém deixa a sexualidade em casa para ir trabalhar”. “Todos vivem situações que convidam à sedução, eu posso escolher aceitar e não aceitar”. Mas se há o acordo de fidelidade, é melhor respeitar.

“Provavelmente, há esse acordo. Dizem que existe casamento aberto, mas nunca vi, só nos filmes e nas novelas”. O desejo de desrespeitar esse acordo é mais um obstáculo que pode colocar tudo a perder, por isso, pede reflexão. “O que está motivando o interesse por outra?”. Para enfrentar isso, lembre-se da importância que sua mulher tem na sua vida. “Veja se vale a pena trocar o que vocês viveram por uma aventura".




Filhos


Há quem diga que filho salva casamento, outros que afasta o casal; mas, na verdade, não é nem uma coisa, nem outra: é um degrau novo que, mais uma vez, pode dar origem a uma crise. “Os dois têm novos papéis e novas responsabilidades que, além de serem muito importantes, pesam muito no relacionamento”. Afinal, ambos estão preocupados com suas novas tarefas. Se vocês se afastarem com isso, calma! De novo, é hora de conversar e não mandar tudo pelos ares. “Em primeiro lugar, não coloque o outro como o culpado. Não faça uma competição para saber quem é o responsável pelo afastamento".

Um exemplo é que a mulher, depois de dar a luz, acha que não está mais atraente e o homem não a trata como antes. Ele, por sua vez, acha que ela só dá atenção ao filho e esquece que tem marido. “O casal não pode esquecer que essa família começou com eles dois, lá atrás. É saudável reservar momentos para conversar sobre essa nova condição, sobre os problemas e, também, para namorar um pouco".

Mariana também lembra que a gestação mexe muito com a mulher: na produção hormonal, na rotina, nas novas obrigações e até nas alterações no corpo. E, claro, tudo isso faz o humor dela oscilar. “Tenha paciência nesse período. Lembre-se de que um dia esses filhos vão crescer e vocês voltarão, novamente, a ser só os dois".




Casamento II

Depois de um tempo de casamento, as coisas ficam mais calmas. E essa é uma característica de casais com ou sem filhos. Muitos, entretanto, ficam desanimados com o fim do furor da paixão e pensam no fim. “É impossível viver sem rotina. Mesmo que sua vida seja uma desordem, essa bagunça vira a sua rotina”. Mas maturidade nessa hora é importante para não destruir o casamento. 

É imaturo achar que vai viver o fogo da paixão para sempre. “A necessidade de estar bem o tempo inteiro, de uma maneira eufórica, é irreal. A vida é feita de momentos diferentes. Em alguns períodos, a vida é deprimente mesmo. Aprenda a enfrentar esses momentos! Ter coerência e honestidade consigo mesmo é o que vai ajudar a manter um relacionamento. É impossível não se desapontar nenhuma vez. O casal terá várias ‘separações’ e ‘casamentos’ ao longo da vida".



Fonte:http://deiafargnoli.blogspot.com.br/
Tema Viagem. Imagens de tema por Galeries. Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog