domingo, 3 de junho de 2012

Resolvi dar um tempo para coração.




Resolvi dar um tempo pro coração, ele merece, não é mesmo? Ser intensa cansa, dá dor de cabeça e tira algumas noites de sono. Resolvi que é hora de vestir meu melhor vestido e sorriso e sair por aí distribuindo gentileza. O mundo precisa de mais gentileza e menos cara amarrada. E abraços! Mas aquele abraço apertado e que faz a gente fechar os olhos, que é pra ser verdadeiro.
Resolvi fazer uma limpa, estou mais seletiva. Confiar e entregar minhas melhores risadas a gente falsa estava me fazendo doer, o coração estava reclamando. Andei radicalizando. Vacilou, risquei do caderninho.
É tempo de acolher gente do bem e de riso fácil, gente que é feliz e sabe disso, sou dessas. Resolvi que do meu lado só vai andar quem quiser estar ao lado mesmo, não na frente ou atrás. Se é pra andar, andaremos juntos, se é pra correr, corrermos juntos e se é pra levar uns tombos, levaremos juntos, mas tem que rir, porque rir de si é o melhor remédio.
Resolvi ouvir as músicas que fazem meu coração pulsar, velha, nova, boba, clássica, me fez rir eu dou o “play”, não importa. Num domingo a tarde vou colocar meu melhor short e uma dessas blusas velinhas e gostosas, soltar os cabelos e colocar meu som pra tocar alto, vou dançar e rodopiar pela sala.
Daqui pra frente farei tudo que gostava de fazer antes e parei porque achavam estúpido, quero ser estupidamente estupida! E quero muitos estúpidos pra fazer estupidezes comigo! Quero levar as coisas menos a sério e rir feito criança de cinco anos em festa com pula-pula, é tempo de ser feliz!
Resolvi rasgar meus jeans, andar de bicicleta e assistir o pôr do sol da varanda da minha casa. Vou sair por aí desejando felicidade aos casais, esperança as crianças, paciência e cautela aos adolescentes, paz e amor aos idosos. Parei de me procurar, porque uma hora a gente se encontra. Acontece, aqui ou ali, você se acha, é só parar de procurar. Parei de andar nas linhas, estou arriscando umas curvas, me perdendo pra achar atalhos. Parei de querer quantidade, agora eu quero qualidade.
Resolvi que todo mundo merece a chance de ser feliz, todo mundo merece aquela mãozinha, e que fique aqui registrado, todos sabem onde me encontrar, estarei aqui quando precisarem.
Apenas dê um tempo pro seu coração e sorria. Relaxe que o resto flui, pois quando o mar está tranquilo todos os barcos podem navegar. E que fique aqui uma mensagem da querida Cora Coralina,“não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.” 


Via- deiafargnoli.blogspot.com.br.
Tema Viagem. Imagens de tema por Galeries. Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog