segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Como superar uma separação.

Os 7 passos para superar uma separação

Separar, no dicionário Michaelis, significa ato ou efeito de separar ou separarem-se pessoas ou coisas moralmente ou fisicamente unidas. Outro significado pode ser a cessação de amizade, concórdia ou harmonia. Os significados abundam. Mas, independente do que quer dizer, terminar uma relação traz sintomas semelhantes: tristeza, desmotivação e a sensação de que uma parte de você foi 

embora. Existe vida após a separação?
"Claro que existe. Mas tudo tem um tempo de maturação", explica Carla Cecarello, psicóloga e terapeuta sexual. Para ela, a mulher precisa vivenciar bem a distância, a perda e o luto para que possa estar pronta. "Isso varia muito de pessoa para pessoa e pode levar até dois anos para que a pessoa se sinta novamente tranquila e apta para um novo relacionamento", assegura.


Separamos sete passos, sob a supervisão da psicóloga, para você superar e recomeçar sua vida. São eles:
Separar dói
Existe um pensamento vigente: que a separação dói mais na mulher do que no homem. "É um mito achar que as mulheres sentem mais do ponto de vista emocional do que os homens, numa separação. Muito pelo contrário: há homens que sofrem bastante quando se separam das suas companheiras", explica Carla. Ambos podem sofrer. A reação e a forma de lidar com a separação é que varia muito de pessoa para pessoa. O ideal é aceitar a realidade tal como se apresenta: você está sem ele, mas está consigo mesma, e isso é muito importante.

Pequenas atitudes
Primeiro a pessoa precisa admitir que está separada de vez. Nesse momento, ela tem que começar a pensar um pouquinho em como pode reorganizar a vida sem o parceiro. "Atitudes simples podem ajudar como mudar a disposição dos móveis dentro de casa, mudar o cardápio, tudo precisa ser reorganizado", ressalta a psicóloga.

Faxina geral
Se puder fazer uma faxina geral do seu ex, melhor ainda. "Quando você convive com alguém, a casa é arrumada para os dois. A partir do momento que um se vai, precisa reorganizar as coisas senão tudo vai fazer você lembrar o outro. As coisas precisam ser reestruturadas", ressalta a psicóloga. Tudo precisa ser relido após uma separação para, no futuro, essa mulher poder pensar com quem vai sair, onde vai passear, qual o tipo de pessoa que gostaria de encontrar. Tudo é um planejamento. Claro que, inicialmente, bate a tristeza, a desmotivação e essas sensações devem ser vividas intensamente para que emoções assim não voltem depois.

Enterre os mortos
Será verdade que uma dor de amor só se cura com um novo amor? "Eu não acredito nisso. Você primeiro tem que enterrar um assunto para iniciar outro. Não adianta nada você tentar colocar outra pessoa para substituir", explica a especialista. Após enterrar, nada de comparações ou tentar colocar o novo parceiro nos moldes do anterior. Se isso ocorrer, não vai ser um relacionamento saudável. É melhor enterrar o assunto e, na hora em que você estiver bem tranquila e com o coração aberto, aí sim, partir para uma nova relação.

Sofrer é opcional?
É necessário para a pessoa passar por essa dor sim, explica a sexóloga. Se não há dor é porque, realmente, já não havia mais sentimento e essa relação já estava separada e deteriorada há muito tempo. Se você tem ressentimento, é inevitável sofrer pela possibilidade de não poder mais conviver com aquela pessoa. Tudo bem, você pode decidir "não quero mais sofrer", certo. Mas você vai começar muito provavelmente a sufocar esse sentimento. Tem que sofrer o que tem que sofrer, acabou o assunto, pronto. Já sofreu tudo? Aí sim a pessoa chega à conclusão "não quero mais, basta!".

Nada de deprimir
Algumas pessoas utilizam seus hobbies como forma de dispersar essa sensação de vazio, o que é uma boa. Que tal por no papel? Ou, quem sabe, pintar quadros? Ou cantar, criar uma música? Veja aí dentro de você qual atividade traz mais prazer e associe isso a uma possível recuperação. Distrair é fundamental. Também nada de se afogar no trabalho e trazer mais pressão e estresse à sua cabeça. As atividades precisam ser prazerosas e libertadoras.


Ajuda especializada
Buscar ajuda profissional especializada poderá ser outro bom investimento para superar o trauma da separação. Há pessoas que sentem mais do que outras e não conseguem achar alternativas para amenizar a dor. Em casos assim, é recomendado a ajuda de um psicólogo. "É fundamental que possamos nos transformar sempre para garantirmos novas chances, assim como novas alternativas de convivência", 
explica Carla.
Reflita: 
Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina, há falta de amor. Um é a sombra do outro
(Carl Jung)


Fonte:estilo.br.msn.com
Tema Viagem. Imagens de tema por Galeries. Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog