terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Você acredita em Alma Gêmea?


O conceito de alma gêmea é muito romântico e inspirador. Ele significa que em algum lugar desse universo há uma alma igual à sua. Essas, separadas, buscam-se por toda eternidade até se reencontrarem.

Não vou entrar no mérito religioso, mas pensando nesse conceito, podemos discutir o que seria de fato uma alma similar à nossa, que nos complete e nos entregue paz.

Muitas vezes encontramos aquela pessoa toda especial e juramos ser a nossa alma gêmea, ficamos exaltados, apaixonados... A vida finalmente parece ter um novo sentido, entramos num estado de êxtase profundo.
Mas com o tempo, percebemos que o coração já não bate mais tão forte, algumas atitudes do outro começam a nos aborrecer, coisas que antes pareciam perfeitas se tornam imperfeitas demais para seguir adiante e a sensação de alma gêmea vai aos poucos se dissipando.

Essa fase alma gêmea na relação seria então a de viver uma grande paixão por um certo tempo? Será que existem algumas almas gêmeas nos esperando e não apenas uma?

Se pensarmos no conceito de paixão, perceberemos que várias almas gêmeas traçarão nossos caminhos, mas se pensarmos em amor, talvez apenas uma alma se encaixe com a nossa, certo?

Sem perder o brilho da magia da existência, precisamos colocar os pés no chão e saber que uma alma cultivada de forma correta junto à outra alma pode se tornar gêmea, eterna e sagrada.

O cultivo dessas duas almas vem de um amor pacífico, sem egocentrismo, narcisismo ou posse. Uma alma deve saber reconhecer na outra a compaixão e não o aprisionamento; sinceridade mesmo que doída e não fingimento; troca e não jogo doentio. Duas almas apaixonadas não jogam por poder, elas se unem para juntas tornarem-se mais poderosas. Assim elas amadurecem, encantam e sobrevivem, até mesmo por toda eternidade.

Hoje em dia, os relacionamentos rápidos e fugazes nos fazem perder todo o encantamento pelo outro. Não há mais a conquista necessária. Estamos numa sociedade onde almas perdidas passam noites com almas carentes e saem machucadas. Isto por que no fundo, mesmo sem admitir, buscamos alguém que nos complete.

Por isso, se você está nesse momento se questionando sobre a sua alma gêmea e a possibilidade de encontrá-la, pense em suas atitudes, use a sua consciência para traçar metas; saiba que a sua alma depende de seu corpo e seu corpo é sempre o seu templo, cuide dele, cuide também de sua mente.

Acredito que conseguiremos ter o que quisermos nessa vida, mas para isso é preciso que muitas vezes nos reciclemos. Há um tempo sempre disponível para pensarmos sobre nós e percebermos o que pode e deve ser modificado; o que realmente queremos para nossa vida. Para algumas pessoas a alma gêmea será alguém romântico, para outras será alguém com os pés no chão, ou quem sabe um amante da natureza, um esportista, um filosofo, não importa... Existem almas de montão para cada um de nós.

Por isso deixe a sua alma preparada para encontrar uma que pertença ao seu mundo interior e jogue-se nessa magia. Se existe de fato ou não... não importa. Afinal, podemos fazê-la existir...

FONTE: www.uol.com.br-Tatiana Ades


sábado, 3 de janeiro de 2015

Mudar é bom... você já mudou?


Gosto muito de falar de mudanças. Para mim, a vida é feita delas, e quem não muda, já está morto e não sabe. Mas, infelizmente, a maioria das pessoas só pensa em mudar no momento em que sente que alguma coisa já lhe escapou das mãos... Essa mudança pode ser verdadeira.
Não acredito muito em mudanças motivadas por fatores externos. Acho que uma mudança só pode ser considerada mudança se vier de dentro. Quando a pessoa sente que ela mesmo já não se basta, não se resolve sozinha, não vence do jeito que é. Quando a pessoa não está mais satisfeita com sua vida.


Eu mesma, confesso, demoro muito para mudar. Às vezes levo anos sofrendo de alguma coisa por dentro até me dar conta de que eu não me satisfaço, eu não me faço mais feliz. Aquela amargura e depressão que nos faz ir parar em consultórios psiquiátricos, aquela sensação de que felicidade é só para os abençoados - e você não é um deles. 
E aí a pessoa tenta, com remédios e terapias, com conversas infindáveis sobre os mesmos assuntos, reencontrar o equilíbrio perdido - ou nunca encontrado. Passamos às vezes anos no fundo de um poço, no meio da lama, chafurdando e tentando nos agarrar a algum braço estendido... quando a solução está bem ali, dentro de nós.
Esse ano tive um insight bem forte. Sabia que teria que tomar decisões sérias e resolvi fazer uma viagem longa para ter certeza. Viajando, reencontrei a mim mesma, depois de muito fugir.


Fui tão longe pra me encontrar
Descobri que na rotina a gente se perde
Rodei mais de 1.500 km
E na volta achei o que tinha perdido
- Ou esquecido. ... Eu mesma!

E foi tão bom reencontrar a mim mesma! Sabia que tinha uma pessoa maravilhosa ali, com suas qualidades e seus defeitos, com sua vontade de viver, com sua alegria e energia! Descobri que ninguém pode me fazer mudar por conselhos ou exemplos, apenas eu posso fazer isso. Posso até fazer as coisas que me diziam para fazer, mas isso tem que vir de dentro de mim para ser verdadeiro.
E sinto que alguma coisa realmente mudou. Sinto que tenho o controle da minha vida. As pessoas podem me ajudar e só o farão se eu tiver a certeza do que quero. Não é fácil, podem ter certeza... mas é muito bom! É como tirar a pele, ou a casca, e ver surgir de dentro algo novo... exatamente como a borboleta!

Fonte: noauge4ponto0.blogspot.com.br

Tema Viagem. Imagens de tema por Galeries. Tecnologia do Blogger.

Pesquisar este blog